thepolice_grande A música “Tea in the Sahara” faz parte do quinto álbum de estúdio dos The Police. “Synchronicity” foi lançado em junho de 1983, data que corresponde ao período de maior sucesso da banda. “Tea in the Sahara” mostra a influência da World Music neste disco dos The Police.

 

 

“Tea in the Sahara”: a última faixa de um álbum histórico

O álbum “Synchronicity” foi o quinto dos The Police e integra grandes êxitos como “Every Breath You Take” e “King of Pain“. De acordo com a banda, o disco foi inspirado no livro de “Roots of Coincidence“, uma obra de Arthur Koestler que fala os mecanismos da quântica, parapsicologia e perceção extrassensorial.

O nome do álbum é na verdade um conceito que explora as razões de causalidade entre os acontecimentos. A noção de sincronicidade foi desenvolvida do psicólogo suíço Carl Gustava Jung, estudioso que afirmou que os acontecimentos não se relacionam por um relação de causa-efeito, mas sim por uma relação de significado.

Conceitos à parte, a verdade é que o álbum dos The Police foi um sucesso, causando reações apoteóticas da crítica e do público. Elogios não eram poupados e foram muitos os que descreveram ao grupo como a maior banda do mundo.

Numa das suas críticas musicais, a revista Rolling Stone descreveu cada música de “Synchronicity” como uma banda sonora em miniatura. O álbum foi incluído na lista dos mais marcantes dos anos 80 e integra os 500 maiores discos de sempre, para a revista. O sucesso fez com que batesse recordes: “Every Breath You Take” foi o single mais vendido de 1983 e o 5.º mais bem sucedido de toda a década de 80.

Tea in the Sahara” é a última faixa do álbum e fecha uma série de músicas com uma história triste de três mulheres que acabam por morrer no deserto. A sonoridade é lenta, fatalista, triste. A letra foi inspirada no livro “The Sheltering Sky” do escritor e compositor Paul Bowles.

Recorde os tempos de maior sucesso dos The Police e ouça novamente o tema de “Synchronicity”: “Tea in the Sahara“.