café-arábia-grão-torrado Com o passar dos tempos, o café entranhou-se nos hábitos e nas culturas espalhadas pelos quatro cantos do mundo. E embora poucos conheçam as suas origens, são muitos os apreciadores desta bebida inconfundível. Leia este artigo até ao fim e conheça o café arábica, uma das espécies da Coffea, a planta do café.

Façamos um acordo: da próxima vez que fizer uma pausa, certifique-se que sabe aquilo que está a beber e descubra a verdadeira doçura e intensidade daquele que é um dos sabores mais apreciados em todo o mundo.

A espécie é exótica e apesar de ser consumida e cultivada há mais de mil anos, apenas foi classificada há 3 séculos atrás. Estávamos, então, em 1753.  O aroma rico, doce e perfumado conjugado com uma acidez ligeira explica o sucesso do tipo de café que representa atualmente três quartos da produção mundial.

A verdade é que existem cerca de 60 tipos diferentes de café, mas apenas 2 são cultivados e vendidos: o Arábica e o Robusta ou Conilon. Com origem na Etiópia, o Coffea Arábica produz grãos alongados com uma forma oval. A sua cor é verde azulada e a espécie apenas nasce em terrenos com uma altitude entre os 600 e os 2000 metros.

É certo e sabido que a qualidade de qualquer grão depende, sobretudo, do local de cultivo. No que diz respeito ao café arábica a regra é simples: quanto mais alto for cultivado, melhor será a qualidade do café.

As temperaturas equatoriais e o clima quente são também um fator importante que explica a fácil adaptação da espécie que viajou da Etiópia até às terras da América Latina. Atualmente, o Brasil ocupa a posição de maior produtor de café, sendo que dados recente o colocam também na posição de país com maior consumo da bebida.

Mas se é tudo café arábica, porque é que existem diferenças no sabor? Da mesma forma que o sabor do vinho ou os vegetais não é sempre igual, também o sabor do café sofre alterações de acordo com diversos fatores. E não falamos apenas do cultivo. Para que possa chegar à sua mesa, o café sofre vários processos. A torra, por exemplo, é fundamental para moldar a intensidade ou a doçura do produto final.

Ainda assim, existem características transversais. Experimente, por exemplo, as Cápsulas Café Blue Espresso Dolce, o exemplo perfeito de como doçura e intensidade podem coexistir na mesma chávena.

O blend premium 100% Arábica é composto por cafés brasileiros de alta qualidade e pela melhor seleção de robustos da Índia. A ideia é juntar na mesma chávena o sabor doce e o gosto forte de diferentes cafés. A torrefação média do grão e a moagem adequada refletem-se no sabor característico e aroma perfumado da bebida que chega à chávena. O creme é sedoso, doce e persistente.