medicamentos_c0a41

A maioria das pessoas possui uma resistência natural aos medicamentos: enquanto fazem bem a uma coisa, estes químicos podem fazer mal a outras. Como tal, são muitos os que preferem utilizar remédios naturais como substitutos dos comprimidos.

Uma coisa é certa: existem chás para tudo, desde dores de barriga, a gripes, constipações e insónias. O que a maioria das pessoas não sabe é que, embora sejam realmente naturais, os chás podem ter efeitos se estivermos, no momento em que o tomamos, a utilizar medicamentos.

Mas que efeitos são esses? A resposta é: depende do chá e depende do medicamento. Se por um lado, a bebida pode potenciar os efeitos do fármaco e ajudá-lo a curar o seu problema mais rapidamente; por outro, o efeito pode ser o reverso e anular o efeito do medicamento.

Por este motivo, antes de tomar qualquer chá é necessário, em primeiro lugar, ter a preocupação de verificar qual o seu princípio ativo.

Entender a relação entre chá e medicamentos

Um fármaco que contenha, por exemplo, sibutramina – um componente muito presente em medicamentos para a obesidade -, não deve ser combinado com cafeína, ou seja, não pode ser consumido juntamente com chá verde ou outros chás feitos a partir da planta Camellia Sinensis.

Ainda assim, a eficácia dos chás é tanta que são muitos os médicos e especialistas que dizem abertamente que, em casos como má digestão, dores de cabeça ou outros problemas “menores”, os chás podem ser uma melhor opção do que um medicamento.

Para conseguir os efeitos desejados – seja o emagrecimento ou a redução de problemas como o colesterol – é importante, em primeiro lugar, conhecer os produtos. Faça a escolha certa e conjugue os chás para que consiga obter os melhores resultados possíveis.