mitos-del-cafe

Acompanha-nos ao acordar, dá energia a meio da manhã e serve como digestivo no final das refeições. A verdade é que o café é uma parte cada vez mais importante do nosso quotidiano. De acordo com alguns dados, a bebida é atualmente a segunda mais ingerida do mundo, logo a seguir à própria água.

De acordo com números recentes, 80% dos portugueses consome café todos os dias. Como seria de esperar, o seu tipo de café preferido é o expresso, sendo que ao todo cada um deles consome 4,7 quilogramas anuais. Os efeitos energéticos e a atuação da cafeína levantam a discussão sobre os reais benefícios da bebida. A pergunta que se coloca é: afinal, o café faz mal à saúde ou não?

Leia este artigo e obtenha a resposta para as suas principais dúvidas no que diz respeito ao consumo desta que é muito provavelmente uma das suas bebidas favorita. Informe-se antes de beber a próxima chávena, potencie a sua alimentação e cuide da sua saúde.

O café faz mal à tensão arterial?

Não, os efeitos são exatamente os contrários. O mito generalizou-se graças às propriedades estimulantes do café. A energia dada pela bebida pode causar uma sensação de ansiedade e fazer com que o coração bata mais depressa.

Embora possa haver pessoas que necessitem de ter mais cuidado, vários nutricionistas afirmam que não é possível estabelecer uma relação direta entre o consumo de café e o aumento da tensão arterial. Pelo contrário, são vários os estudos que têm vindo a demonstrar que o consumo moderado de café é altamente benéfico para pessoas que sofrem de problemas cardiovasculares ou doenças degenerativas, como o Alzheirmer.

As grávidas podem ou não beber café?

A ingestão da bebida é desaconselhada. Regra geral, o organismo demora cerca de 4 a 6 horas a absorver a cafeína e a eliminar todos os efeitos do café. No caso das grávidas, o processo passa a demorar cerca de 18 horas. Estando mais tempo em circulação, o café pode atravessar a barreira placentária e afetar o bebé.

Alguns especialistas dizem que não há contra-indicações, ao contrário do que acontece no caso do álcool. Médicos aconselham não a eliminação total, mas sim a redução do consumo da bebida para, mais ou menos, um café por dia.

O café é um vício?

O café não se enquadra na definição de vício ou adição. O consumo é na verdade um hábito tal como muitos outros. A prova disso está no facto de, em 2004, a sua ingestão deixar de estar proibida nos Jogos Olímpicos. À semelhança de qualquer outro hábito, a abstenção ou o corte radical pode provocar mal-estar ou até mesmo dores de cabeça.

O descafeinado faz melhor ou pior do que o café?

A maior diferença entre o café e o café descafeinado está na quantidade de cafeína de cada um deles. A substituição do primeiro pelo segundo é aconselhada para pessoas com hipertensão associada à ingestão de café ou pessoas com problemas de ansiedade.

O café previne a celulite?

O café acelera o metabolismo e aumenta a circulação sanguínea. Funcionando como um diurético natural, ajuda a queimar gorduras, potencia a perda de peso e pode inclusive ser um excelente aliado no combate à celulite. Devemos, no entanto, lembrar que para que o efeito seja potenciado o melhor será tomar café sem açúcar.

Se for ingerido em quantidades excessivas, o café faz mal à saúde?

Sim, tal como qualquer outro alimento a ingestão excessiva de café pode ser prejudicial. Embora as quantidades variem consoante o caso de cada um, especialistas estimam que um adulto normal poderá ingerir até 300 mg diários, o equivalente a 3 chávenas de café expresso por dia. Os benefícios são vários e vão desde os antioxidantes até ao aumento da concentração e da produtividade no trabalho.