memorias-de-uma-gueixa-grande O chá é uma bebida muito apreciada no Extremo Oriente. Em “Memórias de uma Gueixa“, de 2005, a bebida surge com alguma frequência. As gueixas trabalham, normalmente, em casas de chá, onde existem espectáculos de música e dança.

 

 

“As Memórias de uma Gueixa” é um filme polémico

O filme “As Memórias de uma Gueixa” foi produzido por Steven Spielberg e realizado por Rob Marshall. A película foi lançada em 2005 e é inspirado numa obra com o mesmo nome da autoria de Arthur Golden. A obra foi recebida com agrado pelo público, vencendo vários prémios. Entre eles, o Oscar para melhor Direção de Arte, Melhor Direção de Fotografia e Melhor Guarda-Roupa.

O visual único e apelativo fazem com que a audiência mergulhe no universo japonês do período da Segunda Guerra Mundial, envolvendo-se na história de Chiyo Sakamoto, uma jovem rapariga que é vendida pelo próprio pai a uma Okiya, nome dado às casas de gueixas.

Com o desenrolar do filme, o espetador vai acompanhando o crescimento da personagem que começa por se dedicar às tarefas domésticas até que se torna numa gueixa de sucesso, adorava e invejada no Japão. Sayuri seria o seu novo nome de gueixa e marcava o início de uma nova fase da sua vida.

Mas, se por um lado, o filme foi um sucesso de bilheteiras, a verdade é que as críticas nem sempre foram as mais positivas. No ocidente as reações foram várias: se uns eram favoráveis ao filme, outros criticaram-no. Ainda assim, foi no oriente que a polémica ganhou uma maior dimensão.

Tudo começou logo após o lançamento, uma vez que as personagens principais não eram japonesas, mas sim chinesas. Alguns críticos chegaram inclusive a dizer que o filme era uma ofensa à cultura nipónica e que retratava as gueixas como prostitutas.

Assista ao filme “As Memórias de uma Gueixa“, faça o seu próprio julgamento e participe na discussão.